Get Adobe Flash player

Patrocinador


 Powered by Max Banner Ads 

Física da RM

Lembrar que sinal depende tamanho  do vetor em 90º
Tempos           Velocidade  vetor
Rec. T1 gordura  Rápida         >
Rec. T1 água      Lenta            <
Dec. T2 gordura  Rápido 80    <
Dec. T2 água      Lento 200     >
Na ponderação, a repetição do sinal deve priorizar possibilidade de ler diferenças no sinal entre gordura e água, dadas pela diferença no tamanho dos vetores:
T1 depende dos tempos de rec.T1. T2 dos tempos de dec.
T1
Exagera dif. Entre tempos t1 com TR curto
Diminui dif entre tempos T2 com TE curto
T2
Exagera dif. entre tempos T2 com TE longo.
Diminui  dif. entre tempos T1 com TR longo.
DP
Diminui dif entre tempos T2 com TE curto
Diminui dif. entre tempos T1 com TR longo.
Valores  típicos de TR eTE:
TR curto: 250-700 ms
TR longo: > 2000 ms
TE curto: 10-25 ms
TE longo: > 60 ms
T2*
Volta a fase com pulso de 180º, único ou sequencial = spin eco, que tem informação  T1 eT2. O TE no spin eco é 2x o tempo entre a retirada do pulso 90º e a saída de fase, quando aplica-se o 180º.  Esse é o tempo TAU. O TE spin eco= 2x TAU.
Um eco
– usando TR eTE curtos as imagens geram T1
Dois ecos
— útil para gerar imagem ponderada por DP ou T2 no tempo TR. O primeiro spin é por TE curto,o 2º é por TE longo. O TR é longo para suprimirT1. O 1ºspin é com TR longo  e TE curto (ponderado por DP).  O 2º tem os 2 longos, ponderado em T2.
Resumo:
TR controla ponderação T1 = curto aumenta T1, longo a DP.
TE controla ponderação T2 = curto diminui T2, longo aumenta.
 
Gradiente  eco:
Altera a potência do campo, não da bobina.
O ângulo de inclinação  é menor que 90º, o que cria componente transverso menor que na spin eco. O sinal DIL após a retirada do RF, gera saída de fase T2*, enquanto um gradiente repõe a fase e gera sinal com
T1 e T2, o gradiente  eco. Ele tem o isocentro magnético e extremidades com potência alta e outra baixa. Isto provoca aumento e redução da freqüência de precessão, tirando núcleos de fase ou colocando-os.
Vantagens do GE:
– TE mais curto, com conseqüente TR mais curto,que também pode ser reduzido pois podem ser usados ângulos de inclinação mede menos de 90º, o que produz TR sem saturação.
Desvantagens do GE:
– maior susceptibilidade magnética  pois não elimina efeito T2*, o que origina ponderação T2*.
T1 GE
Acentuar dif. Gordura  e água
– ângulo  de inclinação  grande
– TR curto
Minimizar diferenças T2*
– TE curto
T2* GE
-Acentuar diferenças no tempo T2*, com TE longo
– reduzir diferenças no tempo T1, com ângulo de inclinação  pequeno e TR longo.
DP em GE
– T1 eT2 reduzidos,

Consultoria

Make a Donation Button

Avalie o site

Avalie o site

  • Excelente (96%, 80 Votes)
  • Bom (4%, 3 Votes)
  • Ruim (0%, 0 Votes)
  • Pode melhorar (0%, 0 Votes)
  • No Comments (0%, 0 Votes)

Total Voters: 83

Loading ... Loading ...

+ acessados aqui

RSS CBR